Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Introdução à Dança Barroca

Danca barroca2 1 1024 2500

A prática de música e da dança foi durante muitos séculos conjunta não só em termos sociais como também em contexto quer artístico quer pedagógico. Desta maneira, as formas da música receberam influências diretas da prática da dança, dos seus ritmos, andamentos e mesmo melodias.

Na época barroca, por exemplo, os músicos se não dançavam o menuet, pelo menos sabiam como se dançava, pois tocavam-no na corte para outros dançarem. Além disso, fazia parte da educação de qualquer cortesão aprender a tocar um instrumento assim como a dançar, podendo desse modo, desfrutar as formas de dança ora tocando-as, ora dançando-­as.

Nos dias de hoje considera-­se cada vez mais importante a prática conjunta destas duas linguagens artísticas, acima de tudo quando se verifica que o repertório musical é muitas vezes constituído por formas de dança. Acrescenta-­se a isto a convicção pedagógica, cada vez mais determinante, que o ensino da música deve passar por uma vivência motora, permitindo uma apreensão mais rápida e eficaz de aspetos relacionados com a coordenação, o sentido de pulsação, o fraseado ou mesmo a forma.

Esta formação visa particularmente o menuet, pela sua importância tanto no contexto cortesão, como nos salões do barroco tardio, assim como pela longevidade atestada pela sua presença ainda no período seguinte, nomeadamente subsistindo como andamento da sinfonia clássica.

Conteúdos
  • Introdução a conceitos básicos de postura;
  • Introdução a conceitos básicos de movimento: direções e sentidos no espaço;
  • Introdução a conceitos básicos de dança: troca com par, cruzamentos, simetria;
  • Introdução a vocabulário coreográfico básico específico da dança barroca: posições de pés, passos base, encadeamentos característicos;
  • Informação sobre aspetos musicais característicos de determinadas danças;
  • Verificação auditiva e cinética das relações formais entre dança e música.
Objetivos
  • Tomar consciência de uma boa postura corporal que favoreça a escuta e faculte a prática mais eficaz dos movimentos requisitados;
  • Tomar consciência de características de diferentes tipos de movimento;
  • Tomar consciência das diferentes posições do corpo no espaço e direções no espaço;
  • Tomar consciência da relação do movimento individual com o movimento de outrem;
  • Contextualizar brevemente a prática de dança no contexto cortesão da Europa barroca;
  • Reconhecer indumentária e regras básicas de etiqueta e cortesia;
  • Contactar com partituras básicas de notação coreográfica (Notação Feuillet);
  • Experimentar a montagem coreográfica conjunta de repertório específico;
  • Contactar com as formas musicais referentes a diferentes danças: Bourrée e Menuet;
  • Saber identificar auditivamente diferentes danças através da distinção de aspetos musicais inerentes: compasso, motivos rítmicos característicos, forma.
Metodologia
  • Transmissão oral de forma a aliar, constantemente, prática e teoria;
  • Identificação auditiva e visual de diferentes formas de dança;
  • Contacto direto com obras do repertório coreográfico barroco;
  • Introdução à notação coreográfica barroca.
Condições de participação
  • Inscrição: 21 295 20 92 / 93
  • Faixa etária: a partir dos 10 anos de idade
  • Número de participantes : mínimo de 8 e máximo de 30 participantes

Formadora: Catarina Costa e Silva

Nota biográfica

Ensemble Portingaloise

Ensemble votado ao estudo, reconstituição e divulgação da dança europeia dos séculos XV a XVIII, é constituído por artistas de formação versátil - dança, música, teatro, história da arte - que comungam do amplo interesse pelas artes do espetáculo na época moderna, orientando-­ se pela interpretação historicamente informada a partir da consulta assídua de documentos antigos. Por outro lado, desenvolve igualmente recriações ou mesmo criações originais contemporâneas a partir da reflexão sobre conteúdos históricos e estéticos das épocas renascentista e barroca.

Surge em 2015, apresentando-­se em diferentes contextos: concertos com dança, concertos didáticos, congressos académicos. Apresentou-­se nos concertos dançados: Os Planetas e as Sombras na Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra e na Casa Allen (Primavera 2015) com a Orquestra Barroca da ESMAE; Salgan Bailando y Dançando con Instrumentos com a Capella Sanctae Crucis, com direção de Tiago Simas Freire; No Hay Que Temer Infortunios e Alegrem-­se os Céus e a Terra; Baila! pel’ O Bando do Surunyo, com direção de Hugo Sanches (Outono 2015); Don Quixote com a Orquestra Barroca da ESMAE (Primavera 2016); Les Indes Galantes – suite orquestral de J. Ph. Rameau pela Orquestra Barroca Vigo 430 com direção de José Manuel Navarro (Maio de 2018); Auto do Labirinto com Il Dolcimelo (Outubro de 2018).

Em 2016 desenvolveu a criação original contemporânea Kinski (com apresentação no Teatro Helena Sá e Costa, Armazém 22 e nas III Jornadas de Estudo sobre o Convento dos Capuchos), obra selecionada para participar no ciclo Danses Abritées - Pépinière Baroque (dir. Béatrice Massin-Cie Fêtes Galantes) em Paris em Abril de 2018. O Ensemble participou ainda em episódio da série televisiva Madre Paula da RTP (2017).

Catarina Costa e Silva (Ensemble Portingaloise)

A sua atividade artística e pedagógica abrange as suas diferentes formações: Curso vocacional de dança - Ginasiano Escola de Dança; Licenciatura em História da Arte - FLUP; Licenciatura em Canto - ESMAE; MA Music-Theatre Studies - University of Sheffield; Curso de Encenação de Ópera - FCGulbenkian. Fez formação em Danças Antigas com diferentes mestres de renome internacional (Anne Marie Gardette, Béatrice Massin, Bruna Gondoni, Caroline Pingault, Catherine Turocy, Cecília Gracio Moura, Cecília Nocilli, Diana Campóo, Dorothée Wortelboer, Françoise Denieau, Jürgen Schrape, Marie Geneviève Massé, Maria José Ruiz, Maurizio Padovan e Ricardo Barros). Como intérprete (dança contemporânea, dança antiga, canto) ou assumindo a encenação/direção coreográfica, apresentou-se dentro e fora de Portugal (Alemanha, Brasil, Espanha, Finlândia, França, Inglaterra, Itália) em importantes eventos (Aerowaves - Londres, Guimarães 2012 – C. E. Cultura, Dias da Música - CCB, Tempestade e Galanterie - Queluz, Festival Mozart - Rovereto, Fringe - Utrecht, Encontro de Música Antiga de Loulé, Festival Sons Antigos ao Sul, Festival de Música de São Roque) com diversos agrupamentos nacionais e estrangeiros (Ensemble Clepsidra, Ensemble Elyma, Udite Amanti, Capella Sanctae Crucis, Il Dolcimelo, O Bando do Surunyo, Divino Sospiro, Ensemble Americantiga, Coro da Casa da Música).

Leciona Danças Antigas no Curso de Música Antiga da ESMAE – IPPorto desde 2008, assim como em diferentes instituições artísticas nacionais e estrangeiras, tais como a Semana de Música Antiga da Universidade Federal de Minas Gerais ou a European Union Baroque Orchestra (EUBO). Membro fundador do Grupo Ibero-Americano de Estudo de Danças Antigas e diretora artística do Festival Portingaloise (desde 2015). Council member (por Portugal) da European Association for Dance History. Doutoranda de Estudos Artísticos – Estudos Musicais e membro colaborador do Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra.

19 e 20 Outubro 2019
Horário:

10 às 12 e das 14 às 16h
Apresentação final às 17h

Local:
Auditório Conde Ferreira, Sesimbra
AR|DestaquesAR|MúsicaDançaMúsica
Adicionar a calendário 2019-10-19 16:42:00 2019-10-20 16:42:00 Europe/Lisbon Introdução à Dança Barroca Auditório Conde Ferreira, Sesimbra

Município de Sesimbra © 2015-2020 | Todos os direitos reservados